Sede da PF, em João Pessoa - Foto: Wallyson Santos

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (23), a Operação Transporte Limpo, um desdobramento da Operação Mercador deflagrada no ano passado para apurar os crimes de corrupção eleitoral e lavagem de dinheiro.

A Operação Transporte Limpo tem o objetivo de combater esquema de transporte ilegal de eleitores e compra de votos.

Foram cumpridos 4 mandados de busca e apreensão, sendo 2 no município de São José do Sabugi/PB, 1 no município de Patos/PB e 1 no município de João Pessoa/PB.

Veículo da PF em Operação no Condomínio Villas do Lago, em Patos

Os crimes investigados são os previstos nos artigos 299 e 302 do Código Eleitoral; artigo 11, inciso III, da Lei nº 6.091/74 e artigo 1º, §1º, da Lei nº 12.850/13 (organização criminosa).

As buscas ocorrem em João Pessoa, no bairro de Tambauzinho; em Patos, no condomínio Villas do Lago; em São José do Sabugi, na Zona Rural.

Para relembrar a Operação Mercador

A Polícia Federal cumpriu em outubro do ano passado, cinco mandados de busca e apreensão, nas cidades de João Pessoa, São José do Sabugi e Teixeira, com vistas à obtenção de provas que esclareçam a origem e destino de mais de R$ 173 mil em espécie, apreendidos com material de campanha eleitoral, na véspera do 1º turno das eleições.

O referido montante foi apreendido após colisão de um veículo com uma motocicleta, no município de Santa Luzia em 23/09/22. Durante a abordagem, realizada pela Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal, houve tentativa de ocultação do montante em questão.

Instaurado inquérito há 21 dias, após diversas diligências ordinárias, as medidas cautelares foram deferidas pela Justiça Eleitoral.

Apuram-se os crimes de corrupção eleitoral e lavagem de dinheiro, cujas penas variam, respectivamente, até 04 anos e de 03 a 10 anos de reclusão.